O Tribunal de Contas do Maranhão (TCE-MA) sediou uma reunião da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), nesta quarta-feira, 10, ocasião em que foi debatido o planejamento estratégico da entidade para o período 2018/2023. A intenção do plano é fortalecer os Tribunais e o seu reconhecimento pela sociedade.


A reunião transcorreu como uma conversa informal, com escuta de sugestões e observações de todos os presentes, mostrando ameaças, possibilidades, forças e fragilidades que envolvem as Cortes. Todas as falas foram registradas com vistas ao planejamento. Em um momento posterior, todos receberão um questionário enviado pela Atricon para responder a questões adicionais.

Em sua fala inicial, o conselheiro substituto do TCE do Piauí, Jaylson Campelo, fez uma avaliação bastante positiva da adesão ao MMD-QATC. “Temos, hoje, 100% dos Tribunais de Contas participando do MMD-QATC. E o planejamento estratégico que estamos iniciando se dará em cima desse modelo e seus resultados. Sabemos que somos eficazes e prestamos um serviço de grande relevância à sociedade. Nossa intenção é sempre melhorar”, destacou o conselheiro piauiense.

O conselheiro do TCE-MA, Washington Oliveira, destacou a atuação da Atricon. “Vivemos uma crise sem precedentes no Brasil. Nesse contexto é que eu vejo a atuação das nossas instituições. A Atricon faz uma proposta avançada pra que a sociedade enxergue nosso papel institucional. A defesa da PEC vem nesse sentido e é de extrema relevância”, enfatizou Oliveira.

O conselheiro substituto do TCE do Mato Grosso, Luiz Henrique Lima, fez um balanço do encontro. “Esta reunião levantou temas essenciais. A Atricon entende os Tribunais de Contas como um sistema. Tudo que foi dito aqui tem esse sentido de integração. Diante das amaças, a Associação amadurece respostas e assume uma postura propositiva, que vai ao encontro dos anseios de todos e da sociedade”, resumiu o mato-grossense.

Sobre a elaboração do planejamento estratégico, o conselheiro-presidente do TCE de Rondônia, Edilson Silva, disse que ele aponta um rumo. “Elaborar esse plano é mostrar uma direção, dizer para onde queremos caminhar. Nosso maior ponto forte está justamente na Constituição Federal de 1988, que nos deu o modelo acabado dos Tribunais. Avançamos concomitantes a esse modelo”, pontuou o presidente.

Por fim o anfitrião, presidente do TCE-MA, conselheiro Caldas Furtado, deu sua impressão sobre o desempenho da Atricon. “O que mais me encanta na atuação da Atricon é que o conjunto de ações são idealizadas pelos membros da Associação. O MMD-QATC é constituído por membros dos Tribunais, e isso é fundamental, porque ninguém melhor do que esses membros para falarem do seu trabalho”, finalizou caldas Furtado.

Participaram, ainda, do encontro os conselheiros Nonato Lago, Edmar Cutrim, Álvaro César e Jorge Pavão; os conselheiros substitutos Osmário Guimarães e Melquizedeque Nava Neto; os procuradores Jairo Cavalcante Vieira, Paulo Henrique Reis e Flávia Leite; e a assessora do conselheiro substituto Antonio Blecaute, Glória Serra Pereira, do TCE-MA; as assessoras Risodalva Castro e Paula Fontes, do TCE de Mato Grosso; e a assessora Amanda Agostinho, do TCE de Pernambuco.