O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE/MA), conselheiro Caldas Furtado, presidiu na manhã de hoje, 19/10, o painel de debates que marcou o encerramento do III Congresso Internacional de Controle e Políticas Públicas, realizado na cidade de Curitiba e pela instituição, em parceria com o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE/PR).
 
Durante três dias, especialistas nacionais e internacionais debateram temas ligados ao controle externo e à formulação e desenvolvimento de políticas públicas, com a participação de conselheiros, procuradores e auditores dos tribunais de contas de todo o país, objetivando a disseminação de conhecimentos como estratégia para tornar a fiscalização da aplicação dos recursos públicos mais ágil e efetiva.
 
O painel presidido pelo conselheiro Caldas Furtado teve como ponto principal a palestra "O uso de Big Data no controle de políticas públicas", ministrada pelo conselheiro do Tribunal de Contas de Minas Gerais (TCE/MG) e presidente do IRB, Sebastião Helvécio.
 
O conselheiro Caldas Furtado afirmou que o III Congresso Internacional de Controle e Políticas Públicas representou um momento em que foram compartilhadas informações, conhecimentos e boas práticas oriundas do Sistema de Controle Externo brasileiro e que devem contribuir para que as políticas públicas desenvolvidas pelos municípios, estados e o Governo Federal consigam atender às demandas da sociedade em todas as áreas da gestão pública.
 
Caldas Furtado destacou também que o TCE maranhense prosseguirá implementando as medidas necessárias para elevar ainda mais a qualificação dos seus servidores, a melhoria de sua infraestrutura e a adoção das ferramentas tecnológicas necessárias para alcançar resultados ainda mais eficazes no processo de controle e fiscalização do uso dos recursos públicos. "Estamos focados no propósito de a cada dia construir um TCE ágil, dinâmico, transparente e cada vez mais efetivo. Essa tarefa é contínua e o resultado de todo esse esforço contribuirá para o desenvolvimento e a adoção das políticas públicas necessárias ao desenvolvimento do Maranhão", ressaltou.